PRIMA NEL GIRONE

Quando saiu a definição dos grupos, para muitos a Roma já estava em terceiro lugar no grupo antes mesmo do campeonato começar. Conseguimos superar os dois favoritos com esta bela campanha que se encerrou com o apito final no Stamford Bridge, pois no Olimpico o dever já havia sido cumprido alguns minutos antes contra o Qarabag e a liderança dependia ainda de uma noite não vitoriosa do Chelsea. Pra quem não acreditava, está ai ! Está ai a Roma a cada dia mais com a cara de Di Francesco. Um treinador com forte identificação romanista que chegou com a dificil missão de continuar o bom trabalho de Spalletti e o vem fazendo com excelência e com peças importantes a menos, em comparação com a temporada passada, como Salah e Rudiger. No jogo de hoje a noite no Olimpico, a Roma fez 1-0 com Diego Perrotti, após pegar de cabeça o rebote do chute de Edin Dzeko. Se existia uma hora certa pra se abrir o placar ali era justamente essa, pois logo em seguida o Atletico faria 0-1 em Londres. Segundos cruciais para que não jogássemos a partida com a pressão de uma eliminação. A Europa League não ia servir de consolo. Os auto falantes do Olimpico então anunciaram que, apesar de ainda faltarem alguns jogos do campeonato italiano e esse ano não teremos aquela tradicional pausa de inverno entre o Natal e a Befana, as nossas festas serão de fato boas. "Prima nel girone", palavras que sem dúvida nenhuma só trazem tranquilidade para que continuemos a brigar também lá na parte de cima da tabela na Serie A. Daje ragazzi, non mollare ! Noi siamo LA ROMA !

Síntese: La Repubblica

Roma-Qarabag 1-0, Perotti lança os giallorossi as oitavas como líder do grupo. O argentino, logo no inicio do segundo tempo, completa uma jornada histórica para o clube capitolino: depois do sim para o novo estádio chega também a passagem de turno como primeira colocada no grupo graças ao 1 a 1 entre Chelsea e Atletico Madrid. Vitória sofrida mesmo se o time do Azerbaijão não trouxeram muito perigo.

Por: Jacopo Mandredi

ROMA - Do sim para o novo estádio ao avanço as oitavas de final da Champions como primeira em um grupo de ferro. A Roma anota a data do dia 5 de dezembro de 2017 sobre seu diário e goza de uma noite realmente histórica. Bate por 1 a 0 o Qarabag e desfruta uma renovada dimensão internacional, preludio, talvez, de um futuro cada vez mais radiante. Foi um sucesso mais sofrido que o previsto mas, no final merecido, contra uma equipe que, além de uma boa figura, não jogou. A Roma, não melhor fisicamente, teve dificuldades para desbloquear o resultado e, depois de ter conseguido, não encontrou o golpe definitivo para liquidar o resultado antes do tempo. Porém arriscou realmente muito minimamente (um chute apenas no gol por parte dos azeris), vindo premiada no final pela notícia vinda de Londres depois do 1 a 1 entre Chelsea e Atletico Madrid que a promoveria primeira em um grupo no qual pouquíssimos, as vésperas, haviam previsto a possibilidade de qualificação.

DI FRANCESCO EM FORMAÇÃO TIPO - Recuperados os jogadores Kolarov, Perotti e Nainggolan, Di Francesco no final optou pela segurança, mandando em campo, de fato, a melhor formação possível com El Shaarawy na ponta, Fazio e De Rossi completando a linha mediana. Gurbanov, no fronte oposto, obrigado a renunciar os suspenso Sadigov e Henrique além dos lesionados Agolli e Huseynov revolucionou a defesa com Rzezniczak, Yunuszada e Guerrier, em relação ao jogo de ida, lançando na direita desde o primeiro minuto Ismayilov.

GIALLOROSSI INOFENSIVOS POR 45 MINUTOS - A Roma não conseguiu colocar em prática aquilo que queria Di Francesco as vésperas. A pressão dos atacantes ficaram no vazio e o Qarabag não arriscou praticamente nada. Sehic teve que se preocupar apenas com as chegadas de Manolas que, a dois passos, em uma falta vinda da esquerda, lhe criou alguma dor de cabeça: primeiro com um desvio de calcanhar depois de um cruzamento de El Shaarawy e depois em uma cabeçada que passou muito perto da trave.

A ROMA SE ASCENDE APENAS NO TÉRMINO DO PRIMEIRO TEMPO - O Qarabag não ficou olhando tentando também várias ações com Ndlovu e Almeida que concluíram mal do limite da área. A Roma se ascendeu apneas no término da primeira fração: a primeira pressão veio com uma escapada de Dzeko que de esquerdo disparou uma bola a dois metros do angulo. Depois ficou por conta de Nainggolan, depois de um afastamento da defesa, dispara um míssil de direita que acaba novamente batendo no muro defensivo.

PEROTTI ABRE O PLACAR - A Roma no segundo tempo não aumentou o ritmo pelo menos da linha de meio campo. Aos 53’ veio o gol: tudo mérito de Perotti que, depois de Dzeko ter-se desvencilhado na área, se aproveitou do rebates de Sehic no arremate de direita do bósnio e, sob a linha de impedimento, ensacou de cabeça com a meta vazia. A Roma se anima com o gol mas não consegue ampliar com as conclusões venenosas de Nainggolan e Kolarov.

MICHEL ASSUSTA O OLÍMPICO - O Qarabag determinado a não perder a viagem no final tentou uma tímida reação: Aos 83’ depois de um cruzamento da esquerda de Guerrier, que passou por Fazio, não encontrou pronto Michel depois de um perigoso desvio de cabeça. A Roma agradeceu e, depois de saber o resultado de Londres do empate do Chelsea, relaxou, gozando de um feito realmente inacreditável no desde o dia do sorteio.

@jacopomanfredi

ROMA (433):Alisson, Florenzi, Manolas, Fazio, Kolarov, Nainggolan, De Rossi, Strootman, El Shaarawy(Gerson 72'), Dzeko, Perotti(Pellegrini 80')

QARABAG (4-1-4-1): Sehic 7, Medvedev 6, Yunuszada 6,5, Rzezniczak 6, Guerrier 6, Garayev 6, Ismayilov (31′ st Quintana sv) Michel 6, Almeida 6, Madatov 6 (Ramazanov sv), Ndlovu 6 (39′ st Sheydaev sv). A disp.:1 Kanibolotskiy, 7 Amirguliyev, 30 Huseynov, 91 Diniyev. Téc.: Gurbanov.

Cartões: Guerrier, Michel, Yanuszada, Dzeko, Rzezniczak.

F I C H A
  • ROMA 1-0 QARABAG


    Árbitro: Tobias Stieler (Alemanha)
    Acréscimos: 3’pt e 2'st
    Escanteios: 14 a 0 para a Roma
    Público: 35.000


    info@portaleromanista.org


© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM