CHO-RE-MUS

É apenas o começo de vários recomeços que estamos acostumados a viver (desculpa aí). Quem é de casa revolta-se, claro na maioria das vezes com quem já está calejado de viver isso, normal. Quem é de fora estranha (se diverte) e as vezes fica até espantado, mas vamos encarar os fatos: tem que ser muito torcedor para simpatizar a Roma, ou seria outro adjetivo menos ludibrioso? Duro de admitir? É, concordo, Mas hoje parecia até ser um dia diferente: golaço de Dzeko, com uma assistência magistral de Nainggolan e a Roma jogando soberana metendo balaços na trave sobre uma Inter que até então promete. A maravilha de ter o orgulho lavado com uma vitória consciente sobre o time de um Luciano Spalletti entalado na garganta, nos permitia sonhar… até que Juan Jesus lhe dá um beliscão daqueles de fazer ferida e diz: acorda “manu” tu é romanista… esqueceu? Próximo round...

Síntese: Corriere dello Sport

A equipe de Spalletti (muito vaiado) fica com os três pontos graças a grande prestação de seu capitão. Roma imprecisa e se sorte: três bolas na trave!

Por: Simone Zizzari

ROMA - A vingança de Spalletti serviu, justo sob os olhos de Totti, na primeira aparição como dirigente em seu estádio. A Inter leva os três pontos do Olímpico superando a Roma por 3 a 1 ao final de uma jogo bonito e equilibrado, decidido pelo fato Icardi, mais uma vez determinante com um biz de gritar (segundo depois os outros dois gols na estréia em San Siro contra a Fiorentina, a primeira vez no Olímpico onde ainda não havia conseguido marcar). Foi o argentino a fazer a diferença, contra uma Roma que ao contrário faltou sorte - depois de acertar três bolas na trave - mas também muito imprecisa diante do gol. Spalletti, bastante vaiado pelos seus ex-torcedores, acumulou seu segundo sucesso no campeonato, continuando sua marcha com pontuação plena na ponta da classificação. É ainda cedo para julgar, mas a mão do técnico toscano já começa a aparecer. A salvar a noite romanista foi o retorno de Florenzi no banco dez meses de distancia da sua lesão no joelho.

PRIMEIRO TEMPO - Parte melhor a Inter, com mais bola nos pés, mais veloz e menos embalada nas manobras. A Roma não consegue encontrar as medidas adversárias e corre inicialmente vários apuros com Icardi e Perisic. O primeiro barulho giallorosso é com Fazio que sob medida não consegue impactar a bola por obstrução por parte de Skriniar. Os protestos do zagueiro são avaliados e o árbitro Irrati decide deixar correr. Aos 12’ Icardi desperdiça incrivelmente a dois metros do gol chutando para fora uma assistência ao beijo do sempre Perisic. A resposta da Roma vem com uma pancada ao vôo de Kolarov que estampa sobre a trave a direita de Handanovic. É o sinal que sacode os donos da casa e assusta os visitantes que recuam a linha de frente. Passa um minuto e a Roma passa: Nainggolan pesca com uma lance em vertical Dzeko, muito bravo em matar de peito e ensacar ao vôo a vantagem giallorossa. A replica da Inter demora a chegar e se limita a uma tímida cabeçada de Borja Valero no cruzamento de Candreva. Muito pouco para assustar a atenta retaguarda da casa que é regida por uma Fazio mais convincente. Juan Jesus na direita faz aquilo que pode para limitar as iniciativas de Perisic em uma função que não é a sua. Do outro lado Kolarov resulta como um dos melhores em campo. A Roma continua a pisar no acelerador, mas primeiro Defrel e depois Dzeko falham o biz.

A Inter não fica a observar e com Candreva e o sempre endemoniado Perisic provam a incomodar Alisson com duas conclusões muito centrais. Os romanistas confiam no meio de campo as astucias de Nainggolan, decisivamente mais na partida em relação ao jogo contra a Atalanta. Justo o belga aos 40 minutos não tem sorte acertando a segunda trave da noite giallorossa com uma direita potente do limite da área deixando pregado Handanovic. A ultima ocasião do primeiro tempo fica para os pés de Icardi que procurava espaço para um chute angulado que Alisson desvia por instinto de modo decisivo.

RETOMADA. MUDA TUDO - A retomada começa com João Mario em campo no lugar de Gaglliardini. A Roma parte melhor, mais tônica e agressiva. Perotti e Dzeko possuem subitamente duas ocasiões para aumentar a vantagem, mas desperdiçam com relaxo. Spalletti tenta a casta Dalbert no lugar de Nagatomo, Di Francesco responde tirando de campo um Defrel operário, mas ainda muito dispersado e inserindo El Shaarawy. Aos 55’ a Roma protesta por um pênalti de Skriniar sobre Perotti sobre o qual estranhamente o árbitro Irrati decide não utilizar o Var (ajuda externa). Passam dez minutos e acontece a terceira clamorosa trave da Roma, desta vez com Perotti com um chute de rara beleza. Dois minutos depois aos 67’o empate interista com Icardi que desfruta melhor uma assistência em profundidade de Candreva. O 1 a 1 presenteia novas energias para a Inter que prova desfrutar os espaços deixados pela Roma a caça de voltar a frente no marcador. O jogo é muito bonito. El Shaarawy aos 68’ é interceptado por uma lançamento de Perotti: o toque por baixo do faraó supera Handanovic, mas encontra o decisivo desvio de Dalbert. Nainggolan pouco depois desperdiça uma boa ocasião para a vantagem encontrando no caminho um atento Handanovic. Sob a enésima inversão de fronte do match vem a vantagem da Inter que leva mais uma vez a marca de Icardi, bravo a desfrutar um cruzamento baixo de Perisic sob o qual Fazio chega atrasado. Di Francesco joga todas as suas cartas inserindo Under no lugar de De Rossi, Spalletti ao contrário se cobre fazendo estrear a nova aquisição Cancelo. Nainggolan tem uma grande ocasião aos 85’ para reequilibrar o duelo, mas desperdiça tudo chutando para as estrelas diante de Handanovic. Passam dois minutos e a Inter fecha o discurso em um contra ataque com Vecino, bravo a antecipar Manolas na segunda assistência da noite de Perisic. Ao tríplice apito os visitantes podem comemorar junto com seu treinador. Para a Roma o primeiro tapa da temporada.

@szizzari

ROMA (433):Alisson, Juan Jesus, Manolas, Fazio, Kolarov, Nainggolan, De Rossi(Under 83'), Strootman, Defrel(El Shaarawy 62'), Dzeko, Perotti(Tumminello 91')

INTER(4231): Handanovic; D'Ambrosio, Skriniar, Miranda, Nagatomo (11' st Dalbert); Vecino, Gagliardini (1' st Joao Mario); (38' st Cancelo), Borja Valero, Perisic; Icardi. A disposição: Padelli, Jovetic, Ranocchia, Ansaldi, Eder, Vanheusden, Brozovic, Gabigol, Pinamonti. Técnico: Spalletti.

Cartões: Candreva, Juan Jesus

F I C H A
  • ROMA 1-3 INTER


    Árbitro: Massimiliano Irrati (Florença)
    Acréscimos: 1'pt e 3'st
    Escanteios: 12 a 6 para a Roma
    Público: 48.388


    info@portaleromanista.org


© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM