Ordinária e eficiente

Cheguei na madrugada de hoje de Foz do Iguaçu (peço desculpas aos romanistas pelo atrazo da atualização) e no começo da tarde assisti o VT que a ESPN transmitiu ontem com nosso querido amigo Luiz Carlos Largo (passei pela sua cidade natal, Cascavel) e o romanista-doc Gian Oddi nos comentários. É verdade, cada vez que assistimos uma partida ficamos com aquela sensação de que ficou faltando principalmente gols e um sentimento pior ainda de que no final o time poderia ter sofrido gol e jogado fora pontos importantes, como no passado. Trauma é trauma e infelizmente isso irá acompanhar os romanistas cronicamente. No entanto essa Roma do Eusébio Di Francesco, que teve a grata satisfação de ver o filhão em campo (infelizmente como adversário), está fazendo o arroz/feijão de maneira cínica e preciosa: não precisamos ir muito longe para comparar jogos maravilhosos de seus predecessores com uma sacolada de gols e depois derrotas decepcionantes frente a adversários como os que a equipe enfrentou nas últimas três rodadas. Ahh, mas perdeu para a Inter e para o Napoli… Perfeitamente senhores, porém é um time sincero e essa é uma crucial diferença e a esperança que aquilo que se vê é real e não uma falsa sensação como estamos acostumados a ver ultimamente. E cá entre nós, nas diversas discussões que frequentemente compartilhamos no Fellas, na maioria das vezes o consentimento é por títulos e se for para eles virem ganhando mal e porcamente que isso não seja feio, mas sim constante e honesto.

Síntese: Il Messaggero

Roma-Bologna 1-0: basta o gol de El Shaarawy para conquistar a vitória

Por: Ugo Trani

Basta o gol de El Shaarawy contra o Bologna, assim como foi suficiente aquele de Kolarov, domingo contra o Torino, e o de Perotti quarta-feira contra o Crotone. A Roma, com o mesmo resultado (1 a 0), vence três partidas em sete dias e soma na classificação 9 pontos mantendo-se na quinta colocação logo atrás do pelotão de cima, isto é Napoli, Juve, Inter e Lazio. E sabendo que, cedo ou tarde, recuperará a partida contra a Sampdoria.

PRESTAÇÃO CONVINCENTE - Os giallorossi, porém, não vai a um mínimo, como poderia-se pensar o tríptico de sucessos sob medida. E como poderia-se acreditar o terceiro gol consecutivo marcado em bola inativa: cobrança de falta de Kolarov, pênalti de Perotti e, em cobrança de escanteio de Pellegrini, o último e belíssimo gol, de esquerda aéreo, de El Shaarawy. É verdade que o ultimo gol em ação foi aquele de Florenzi em San Siro, no dia 1º de outubro contra o Milan, mas a Roma desta semana não é apenas cruel: joga, toma a iniciativa e quase nunca deixa aos adversários, cria chances e sobretudo não corre risco. Nem mesmo contra o Bologna que na frente escala gente como Verdi e Di Francesco junior, velozes e eficazes. Assim, pela sétima vez no campeonato e oitava na temporada, a defesa não sofre gol: na série A permanece como a melhor, com 5 gols sofridos. Mais que os intérpretes, é o coletivo que faz a diferença. Equilibro, solidez e organização: o trabalho de Di Francesco começa valorizar.

VENTO EM COPA - Também turn-over, insistente e extralarge, premia o treinador. Que desta vez chega a mudar 8 jogadores. Mas dos big permanecem fora apenas Kolarov e Naiggolan: turno de repouso, na expectativa do Chelsea campeão da Premier que terça-feira estará no Olímpico. Os giallorossi, feito a lição nas ultimas três partidas do campeonato, agora centram as oitavas da Champions. A experiência de Pre, usado na esquerda e Florenzi com pêndulo deu bom resultado. Mas o lateral no final acabou sentindo a coxa direita. Nada grave. Mas, do inicio da temporada até agora já são 13 as lesões musculares. E, como para os ligamentos cruzados, é o caso de entender porque e como preveni-los.

@utti60

ROMA (433):Alisson, Florenzi, Fazio, Juan Jesus, Bruno Peres(Moreno 70'), Pellegrini, De Rossi, Strootman, Defrel(Perotti 59'), Dzeko, El Shaarawy(Gerson 83')

BOLOGNA(433): Da Costa, Krafth, Gonzalez, Helander, Masina, Nagy (12' st Falletti), Pulgar, Poli (36' st Donsah), Verdi, Petkovic (40' st Destro), Di Francesco A disp.: 34 Ravaglia, 29 Santurro, 6 De Maio, 20 Maietta, 12 Crisetig, 13 Brignani, 11 Krejci, 30 Okwonkwo, 42 Frabotta. Téc.: Donadoni

Cartões: Poli, Pulgar, Helander, De Rossi, Petkovic

F I C H A
  • ROMA 1-0 BOLOGNA


    Árbitro: Michael Fabbri (Ravena)
    Acréscimos: 0'pt e 4'st
    Escanteios: 7 a 5 para a Roma
    Público: 35.202


    info@portaleromanista.org


© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM