Estádio Pineta - PINZOLO 11/07/2017 - 12:00 (17:00  local time )

AMISTOSO

PINZOLO-ROMA
Associazioni Calcio Pinzolo Pampiglio
0-8
Associazione Sportiva Roma

Início de temporada nota 8?


Pudera que todos os problemas, que não são poucos, fossem resolvidos com uma nota desse teor já logo na primeira exibição da Roma, mas pelo contrário muita água ainda vai rolar até se chegar ao ponto preciso. Técnico novo, alguns setores indefinidos outros com os mesmos problemas de sempre. A piazada que vem da base é uma esperança mas o amadurecimento ainda é gritante, sobretudo na linha de frente com grande vontade de fazer mas pouco discernimento na afirmação necessária. O mercado romanista ainda é obscuro e não se espera, como sempre, que se resolvam todas as questões, que não são poucas em um jogo diante do fraco Pinzolo.

@zzzamaaa

Síntese: Gazzetta dello Sport

Tudo fácil para os giallorossi no seu primeiro amistoso estivo. Em campo muitos jovens conduzidos pelo capitão Perotti. Debute nos conformes para o francês Gonalons.

PINZOLO - Atacantes que comprimem o campo, defesa alta, laterais que se sobrepõem, o ponta central que ataca o espaço e a marcação por zona sobre chutes parado. Na primeira pernada da nova aventura giallorossa se foi visto um pouco de tudo dos crismas do futebol de Di Francesco. Compativelmente com o fato que se jogava contra os amadores do Pinzolo Val Rendena, adversário que acha obviamente o tempo que sobra. A Roma mais bela é vista entretanto no primeiro tempo, depois se lançou um pouco, desperdiçando também bastante na fase ofensiva.

A PARTIDA - As notas positivas chegam de Perotti (seu primeiro gol da temporada, sob a marca de pênalti) e do jovem Cappa, bravo em se colocar a mostra justo onde a Roma priva de um titular ou seja sob a meia direita. Em forma se mostrou antes Gonalons e depois Vainqueur, Gerson é o que jogou mais que todos (61 minutos) mas em corrente alternada, primeiro como meia ala e depois como meia atacante. O brasileiro meteu inclusive uma clamorosa bola no travessão (imitado depois por Perotti, no segundo tempo trave de De Santis), mas pareceu lento nas abordagens mentais ao match. Bem ao contrário também Luca Pellegrini e Tumminello. Vez em quando da mesma forma Bruno Peres, que na direita encontrou tanto espaço, para ele na faixa se abriram espaços imensos, com os esquemas de Di Francesco que tem base justamente em liberar as faces e as incursões dos laterais. De aplausos, então, o gol dos 6 a 0, com uma percussão central de Perotti concluída com uma mini cavadinha na saída do goleiro. No segundo tempo, Sadiq construiu com frequência arremates, desperdiçando porém sempre todos. Pecado, porque no final o resultado das ocasiões capitais ao nigeriano foram o total de 5. Muitas, sobretudo porque destas Sadiq no final não concretizou nem mesmo uma.

AS PALAVRAS DE DI FRANCESCO - No final da partida Eusebio Di Francesco analisa assim a primeira pernada giallorossa:

“Estou satisfeito, sobretudo por quanto se foi visto no primeiro tempo do ponto de vista das minhas ideias. No segundo tempo havia muitos jogadores fora da posição e o desenvolvimento da manobra não fluiu. Perotti, por exemplo, jogou mais internamente, recuado, se tornando mais perigoso. Inclusive Cappa fez bem e gostei de ver Antonucci. Nos falta um meia direita de ataque, este é agora nossa prioridade de mercado. Gerson? Estava curioso em revê-lo na sua posição avançada, visto que no Brasil jogava assim. Mas em cima dele trabalharei como meio campista. Bruno Peres, ao contrário, deve melhorar nos movimentos, se consegue defender bem poderá atacar melhor. Gonalons é determinantes em todas as duas fases de desenvolvimento da manobra. No treinamento jogava muito horizontal, desta vez procurou a verticalidade e me agradou muito”

PINZOLO: Mat. Collini (46' Cereghini; 76' Bonomini); Mar. Collini (46' Polli), Mosca (46' Valenti), Iseppi (76' Riccadonna), Armani (46' Sardo), Bortolotti (46' Pedretti); Polla (46' Bonapace), Riccadonna (46' Foccoli), Lorenzi (46' Serafini); Caola (46' Maturi; 77' Lorenzi), Masè (46' D. Collini). A disp.: Pinzi, Ninkovic. Técnico: Bonazza.

ROMA: Alisson (46' Lobont); Bruno Peres (46' De Santis), Castan (46' Gyomber), Juan Jesus (46' Nani), Lu. Pellegrini (46' Seck); Ricci (46' Ciavattini), Gonalons (46' Vainqueur), Gerson (61' Keba); Cappa (46' Marcucci), Tumminello (46' Sadiq), Perotti (46' Valeau). Técnico: Di Francesco.

Gols: 7' Perotti, 12' Castan, 17' Cappa, 26' Tumminello, 28' Ricci, 36' Perotti, 42' Tuminiello, 48' Ciavattini

F I C H A
  • PINZOLO-ROMA


    Árbitro: Sozza (Seregno)


    Público: 2.200



    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM