2ª Rodada: Liguria 3-2 Roma, 25/09/1938

A Roma em plena reconstrução do fim da década de 1930 não significava um time repleto de jovens promissores. O técnico Guido Ara e o presidente Igino Betti buscavam reforços para o futuro, é claro, mas o principal era o estabelecimento de um padrão de jogo para a equipe, que proporcionasse no futuro próximo um mínimo de estabilidade em busca do crescimento de jogadores. Em 1938/39, os pilares do time eram todos trintões – e ao meio deles foi adicionado Attilio Ferraris, o filho pródigo que retornava após um período de traição, na Lazio, e de passagem pelo Bari. O ainda garoto Amedeo Amadei, por exemplo, que havia estreado em 1936/37 e jogado pouquíssimo em 1937/38, foi emprestado para a Atalanta por uma temporada e voltaria no ano seguinte com mais experiência e para um time mais sólido.

Masetti, 31, Gadaldi, 31, Monzeglio, 32, Serantoni, 32, Bernardini, 33, Ferraris, 34... Parece estranho pensar em preparação para o futuro quando, somadas, as idades de seis importantes jogadores do time chegam quase a duzentos anos. Mas ao mesmo tempo que foram fundamentais durante o ano, conferindo certa consistência que é sempre bem-vinda na Roma, os grandi vecchi do elenco também assumiram papéis importantes fora do campo, quando não jogavam. Bernardini e Serantoni o fizeram por doze jogos, Monzeglio por oito, Masetti seis... No ano seguinte, inclusive, quando se aposentou, Monzeglio foi direto trabalhar na direção do clube.

Entre os beneficiários da temporada estava Bonomi, que havia chegado da Atalanta no mesmo negócio que levou Amadei para Bérgamo. Chegaram também Alghisi, Di Pasquale, Ceresa e, principalmente, Aristide Coscia, um rapaz de vinte anos com técnica refinada e muita visão de jogo. Michelini também brilha e o time começa bem, vencendo o Milan (1 a 0) e a Juventus (1 a 0) nos primeiros dois jogos em Testaccio – retorno da Roma ao seu estádio, após ter passado boa parte da temporada anterior fora dele. Entre as duas partidas, a Roma perdeu para o ótimo Liguria (3 a 2), que brigou na parte de cima da tabela.

Durante o turno, o time embala uma sequência de onze jogos com apenas duas derrotas, incluindo um 4 a 1 sobre o Livorno e, na Coppa Italia, um 4 a 0 em cima do Palermo. Entretanto, após perder para o então líder e futuro campeão Bologna (1 a 0), o nariz do avião romanista aponta para baixo. Pela primeira vez na história da stracittadina, a Lazio bateu a Roma no Campo Testaccio (2 a 0). O baque foi duro e o time apanhou também na rodada seguinte, fora de casa contra o Novara (5 a 0).

No returno as coisas se arrumaram. Apesar de tropeços aqui e ali, o time pelo segundo ano consecutivo não foi batido pela Juventus (0 a 0 em Turim) e venceu os dois jogos contra o Milan (1 a 0 em Milão). Na Coppa Italia, o time chegou até as quartas-de-final. Após eliminar o Palermo, o time passou pela Triestina (2 a 1) e foi eliminado pela Ambrosiana-Inter (1 a 0). Mas os melhores momentos da segunda metade da temporada ficaram reservados para o final. Ainda em fevereiro, a Roma aplicou uma goleada sobre a Lucchese (4 a 1), mas não foi nada se comparado às revanches nas últimas duas rodadas do campeonato: nelas, a Lazio foi batida por 3 a 1 e o Novara por 3 a 0. A equipe, assim, terminou o campeonato na quinta posição.

@gioguerreiro

1937/38 1939/40


F I C H A
  • 1938/39


    Campeonato: 5ª Posição

    Vitórias: 14
    Empates: 3
    Derrotas: 13

    Michelini : 13 gols
    Alghisi: 7 gols
    Boreste, Coscia, Subinaghi : 4 gols
    Bonomi : 3 gols
    Serantoni : 2 gols
    Di Pasquale, Mascheroni: 1 gol

    Copa Itália: Quartas de Final

    Vitórias: 2
    Derrotas: 1

    Coscia: 3 gols
    Alghisi: 2 gols

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM