Géza Kertész

Muitas vezes confundido erroneamente nos almanaques como Kertész IV mas não tinha parentesco com os irmãos Gyula, Vilmos e Adolf também profissionais do futebol mas apenas o sobrenome em comum. Casou-se com Rosa e teve um casal de filhos: Kate e Géza. Os jornalistas da época o descreviam como alto, simpático, com olhar sereno e amistoso possuía um andar um pouco desajeitado com o falar suave.

Vive na Hungria até 1925, quando então se transferiu para a Itália para iniciar sua carreira de técnico de futebol. Antes havia jogador pelo BTC Budapest e o prestigioso Ferencvaros, além de ter vestido uma vez a camisa da seleção húngara. Ficou um bom tempo em Catania, onde tinha uma propriedade de grande porte em Spadaro-Ventura e na cidade siciliana era muito popular.

Assumiu a Roma depois de Schaffer em dezembro de 1942 e, naturalmente, suscitou muitas saudades do seu predecessor, mesmo tendo ele sido recomendado a diretoria romanista por ótimas referencias. Havia treinado a Lazio e o Catania, mas seu módulo preferido era o Sistema. Que tentou executar na sua Roma, sem obter resultados apreciáveis. Os jogadores realmente haviam se acostumados no velho jogo e não tinham condições de se adaptarem em poucas semanas taticamente.

Logo de cara sofreu 4 derrotas em cinco partidas e com ele no comando a Roma não empatou uma única vez. Porém a experiência de Kertész teve que dar espaço a segunda guerra mundial que se espalhava por toda Europa. Os eventos bélicos interromperam o campeonato italiano e com isto Geza acabou voltando para seu país,

Nacionalista, era tenente coronel do exercito e constituiu, juntamente com o seu ex-companheiro de equipe Tóth (que também teve um passado como técnico na Itália), uma organização que salvou dezenas de judeus e partisãos húngaros dos campos de extermínios nazistas. Se travestiu de soldado da Wehrmacht (Força Armada Alemã) para ajudar as pessoas a escapar do gueto de Budapeste e tinha relações com o Serviço Estratégico Americano (Office of Strategic Services).

Kertész foi no entanto capturado em dezembro de 1944, depois que um delator o entregou a Gestapo (serviço secreto alemão) relatou que ele escondia um judeu em sua casa, e desta forma acaba sendo fuzilado (aos 49 anos de idade) junto ao companheiro Tóth alguns dias antes da liberação da capital húngara, mais precisamente no dia 6 de fevereiro de 1945. Com eles morreram outros cinco combatentes, no átrio do Palácio Real de Buda.

No seu funeral participaram milhares de pessoas, inclusive sicilianos da Catania, lhe foi atribuído o titulo de "mártir da pátria" e sepultado no cemitério dos heróis de Budapeste.

@zamacwb

 

KERTESZ

B I O S

  • Géza Kertész


    Nascimento: 21/11/1894
    Local : Budapeste

    Função:Técnico

    Estréia: 20/12/1942
    Livorno 2-0 Roma

    TEMPORADA JGS VIT EMP DER
    1942/43 20 9 0 11
    TOTAL 20 9 0 11

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM