Stig Sundqvist

Iniciou sua carreira aos dezoito anos de idade como profissional em 1940 no Idrottsföreningen Kamraterna Norrköping que leva o mesmo nome da cidade, fundado em 1897. Nos dez anos que vestiu a camisa do IFK foi pentacampeão sueco (quatro vezes consecutivas 1943, 1945-1948), além de duas Copas nacionais (1943 e 1945).

Chegou em Roma no verão de 1950 após ter sido um dos protagonista da bela Suécia que eliminou a Itália na Copa do Mundo de 1950 no Brasil, conquistando o terceiro lugar no mundial. A diretoria romanista em um primeiro momento havia contratado Nacka Skoglund, com um pré-contrato assinado, mas no final a Inter oferece o dobro e compreensivelmente o jogador ruma para Milão, obrigando a Roma assim partir para outro objetivo e mudar a rota.

Nesse sentido sobra a alternativa do compatriota Sundqvist, não tão efetivo como Skoglund, mas certamente um pouco mais contínuo e confiável, principalmente do ponto de vista comportamental, já que na sua terra natal era considerado como um talento nato.

Ala esquerdo refinado e serenamente ligado no jogo, na capital logo de cara cai nas graças da torcida que o apelida carinhosamente “pagnotella”, isto é sanduíche em italiano. Sua contratação traz grande repercução pela imprensa especializada da época o que substancialmente traz bastante esperança a nação giallorossa.

Porém, infelizmente, para ele, a equipe volta a jogar no velho módulo, escolhido pelo técnico, o metodista Baloncieri, depois do parêntese revolucionado por Fulvio Bernardini encerrado em bate bocas e grandes desavenças. E para Stig é um grande problema, já que sempre jogou no Sistema, como todos os nórdicos, encontra dificuldades para se ambientar aos pedidos do treinador.

Não demora muito para que o rendimento do sueco caia drasticamente e para ele não resta senão antecipar o natal em pedidos angustiantes para que o time escape do rebaixamento. No mais Sundqvist também pena diante de defensores mais dotados tecnicamente sobretudo no jogo duro de forte marcação e as lesões não demoram muito para afastar o ala dos gramados com uma certa frequência.

Apenas na segunda fase do campeonato já mais ambientado, o sueco consegue demonstrar seus dotes e gols, porém não suficientes para evitar o rebaixamento do time no final da temporada. Permanece mais um ano em Roma para ajudar o time a voltar para primeira divisão e depois retorna para sua terra natal.

Stig Sundqvist morreu em Jönköping, Suécia, no dia 3 de agosto de 2011 aos oitenta e nove anos de idade.

@zzzamaaa

67   presenças
18   gols
 

SUNDQVIST

B I O S
  • Stig Sundqvist


    Nascimento: 19/07/1922
    Cidade : Vitbjaro

    Função: Ala

    Estréia : 19/10/1950
    Bologna 3-1 Roma

    Temporada  Pres Gols
    1950/51 35 9
    1951/52 32 9
    Total 67 18

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM