Pierino Rovida

Mais um produto do futebol romano que encontra espaço no elenco da primeira Roma da história. Formado nos campinhos da periferia nas intermináveis partidas que caracterizavam a cena da capital na época pioneira, começou a jogar futebol na Juventus de Roma e os dotes de destreza que havia conquistado antes seriam muito úteis nos disputados jogos que caracterizavam o campeonato romano naqueles tempos. Anos nos quais mais de uma partida terminava em enormes brigas e com a intervenção da polícia para poder apaziguar a confusão, muitas vezes sem sucesso, os envolvidos

Volante dotado de boa técnica, une a isto boa capacidade física e é bom tanto na marcação do adversário que lhe é confiada quanto em recolocar a bola em jogo e criar as jogadas. Isto é, o que mais se destacava no seu estilo de jogo, a verdadeira marca de fábrica que o distinguia, era a avareza que colocava em prática no curso da partida, a intensidade com a qual usava enfrentar os adversários.

A continuidade de rendimento expressa no curso da sua aventura com a Alba, lhe valeu uma convocação para a Roma, onde transporta com peso o amor a camisa que é o diferencial de tantos romanos que passaram por aqui, e naquela fase inicial, para defender as cores romanistas. Amor que exprime sobretudo na recusa de receber salário por aquilo que considera uma honra. Nos dias de hoje o taxariam de louco...

Quando morreu em 1968, o advogado Giuseppe Colalucci, dirigente da Roma e diretor do jornal "Tifone", escreveu uma nota comovido:

"Pierino Rovida, era sozinho, não tinha mulher nem família. Conduzia a vida de maneira simples e regular deste mundo com um modesto salário que a Roma lhe pagava a título de funcionário administrativo. Amava aquele modesto trabalho como a própria vida. Temia sempre de perder o lugar. Me recordo dos discretos telefonemas de Pierino: " 'Avvocà, posso stà tranquillo?" (Doutor, posso ficar tranqüilo?). Me tocava nele sua anonimata gentileza de ânimo, definitivamente a brandura que contrastava com a lembrança que dele havia quando calçava as chuteiras pregadas. No campo era de uma bravura irredutível, na sua vida particular, um remissivo".

Não possuía um grande físico, por isto ganhou o apelido de "sciaboletta" (sabre). Foi um dos primeiros capitães da história da Roma.

O jornal "Il Piccolo" escreve uma nota de Rovida em janeiro de 1929; depois de uma lesão em campo (fratura de três costelas), é transportado as pressas no carro de Bernardini para o hospital Policlínico. Talvez a primeira vez que "Fufo" ergueu o topete para o Duce...

@zamacwb

20   presenças
 

ROVIDA

B I O S
  • Pierino Rovida


    Nascimento: 13/01/1898
    Cidade : Roma

    Função: Volante

    Estréia : 25/09/1927
    Roma 2-0 Livorno

    Temporadas Pres Gols
    1927/28 15 -
    1928/29 5 -
    Total 20 0

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM