Oscar Lini

Outro fruto do viveiro romano de futebol, Oscar Lini cresceu futebolisticamente na Associazione Sportiva Dilettantistica Civitavecchia Calcio 1920 e sua performance na época chamou atenção da diretoria romanista desta forma sendo fisgado para compor o time do técnico Luigi Burnella em 1948.

Na região onde cresceu era tido como uma das grandes promessas do futebol, tanto que antes de vir para Roma fez testes com a Lazio e o roupeiro do clube soltou:

”És um fenomeno”

Veio um pouco antes da outra prata da casa litorânea, Palmieri, mas como o ex-companheiro de equipe amargurou viver o pior momento que o clube atravessava na história. De fato a Roma do pós guerra vivia profundos problemas financeiros, tinha um elenco consideravelmente pobre tecnicamente e a diretoria vivendo tensos problemas no âmago societário.

Em amistosos pela Roma rendeu boas notas e impressões da imprensa esportiva como neste trecho de artigo publicado na época:

“Um meia de jogo exemplarmente altruístico e ajuizado, precisos os seus lançamentos”

Oscar desde menino já demonstrava ter ótimas qualidades futebolísticas, tanto que recebera o apelido de “Mazzoletta” (Mazzolinha fazendo uma alusão a Valentino Mazzola), estréia na primeira divisão italiana com apenas vinte e um anos de idade diante da Sampdoria no dia 20 de março de 1949. Uma curiosidade fatídica desta data de sua estréia é que no mesmo dia vem a falecer o primeiro presidente e principal articulador na época da criação da Roma. Dizem que o enfarte foi em função até da derrota por 2 a 0 em Genova.

Uma séria lesão no joelho afastaria o jovem meia por um bom tempo dos gramados caindo por terra então o sonho da primeira divisão italiana. Deste modo não tem uma segunda chance para demonstrar seu potencial com a camisa giallorossa e nem mesmo tempo para ser lapidado, pois a Roma da época vivia no desespero e jogava aquilo que melhor tinha a sua disposição como miúdos a leões famintos. Na temporada seguinte é cedido a Unione Sportiva Anconitana, e tendo mais espaço e condições de colocar seus potencial a prova, ajuda a equipe subir para a Série B em 1950.

Depois vestiu a camisa também da Unione Sportiva Avellino 1912, para continuar disputando a Série B italiana em 1950. Em seguida passa para Società Educazione Fisica Torres 1903, time da cidade de Sassari, da ilha da Sardegna desta vez disputando um campeonato a nível regional para mais tarde se transferir a Società Sportiva Dilettantistica Colleferro Calcio, time que leva o mesmo nome da cidade próximo a capital Roma.

Na temporada 1957/58 retorna para seu clube de origem, o Civitavecchia, se tornando um dos principais artifices do título italiano de estreantes. É ele que como capitão, no estádio Olímpico, levanta a Copa para o alto. Termina assim sua carreira de jogador de forma heroica para dar inicio então a carreira de treinador, primeiramente como auxiliar do time juvenil depois mais tarde do elenco principal do clube.

Além do Civitavecchia Calcio, onde consegue evitar que time caia para a Série D em 1973/74 depois de um heróico empate na última partida, treina também o Santa Marinella, o Tarquinia entre outros clubes menos expressivos. Sucessivamente se dedica a Direção do clube auferindo também com isto ótimos resultados. Era uma pessoa simples, dizia Roberto Melchiorri em uma entrevista telefônica a respeito de Oscar, dizia sempre que quem era mais bravo, no final era sempre premiado. Este era o modo de ver o futebol de Oscar Lini, que vem a falecer em sua cidade natal aos oitenta e sete anos de idade no dia 9 de julho de 2016.

@zamacwb

1   presenças
 

LINI

B I O S
  • Oscar Lini


    Nascimento: 01/10/1928
    Cidade : Civitavecchia

    Função: Meia

    Estréia : 20/03/1949
    Sampdoria 2-0 Roma

    Temporada  Pres Gols
    1948/49 1 -
    Total 1 0


    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM