Dante Di Benedetti

Da base romanista dos anos trinta foi integrado a equipe principal a partir de 1933 com apenas dezessete anos. Em 1934 foi emprestado ao Rhodense e no retorno, em 1935, foi chamado pelo técnico Luigi Barbesino para recompor as pressas o ataque giallorosso, já que os argentinos Guaita, Scopelli e Stagnaro, acabaram desertando o time a 48 horas do inicio do campeonato e fugiram para a Argentina, pois achavam que iriam ser alistados em função da cidadania italiana e da guerra da Etiópia na época.

Barbesino de fato já havia tentado de tudo para arrumar o ataque romanista depois do imenso vazio deixado pelos argentinos, sobretudo Guaita que era o bomber do time. Até o lateral Gadaldi foi improvisado na frente, tamanho era o desespero do treinador, mas de nada adiantou. É aí que brilha a estrela do jovem romano Di Benedetti.

Era conhecido como "Provolone" no bom sentido, não das origens, pois vinha dos Castelos Romanos, e na sua formação juvenil se destacou como artilheiro:

"Menino sólido, de pé centrado, calmo, tempestivo e, algo muito raro, de ideias muito claras"

Com aquele olhar triste e um tipo de poucas palavras se possível novas era bem dotado fisicamente uma de suas armas principais a cabeçada além do arremate muito objetivo. Estava em plena ascensão, mas quando menos se esperava lesiona seriamente o joelho e com o susto a Roma de maneira equivocada acaba cedendo a prata da casa a Fiorentina, não acreditando na recuperação de Dante. Seria um dos grandes arrependimentos da sociedade giallorossa.

Em 1937 já recuperado faz 31 jogos e treze gols nas duas temporadas que veste a camisa viola. Em 1939 é emprestado ao Lucchese e lá desanda fazer gols: foram 21 em 34 jogos. Voltando a Fiorentina em 1940 mais 12 gols em 28 partidas.

Em 1941 passa a integrar o Pisa onde mantém sua média: 13 gols em 24 partidas. Na temporada 1942/43 é cedido ao Bari onde encontra um pouco de dificuldade para se ambientar e consegue fazer apenas 6 gols em 26 jogos. No ano seguinte é emprestado ao Avia Roma e por problemas físicos acaba indo muito pouco a campo.

Volta ao Bari somente em 1946 e já com trinta anos parece entrar em ritmo de despedida, mas obtém a incrível marca de 14 gols nas vinte e oito vezes que fora a campo. Acerta com o Napoli na temporada seguinte, e nos dois anos com os partenopei disputa 47 jogos e faz vinte gols.

Teria mais um episódio com os galinhos da Puglia na temporada 1948/49 mas vai a campo apenas duas vezes. No ano seguinte disputa a Série C com o Resina, faz seis gols em 21 partidas e decide que ali é o fim da linha da sua prolífica carreira.

Além das 31 presenças e 13 gols com a Roma, também teve outras quatro partidas com o mesmo número de tentos pela Copa Itália e dois gols em quatro jogos pela Copa da Europa Central.

@zamacwb

31   presenças
13   gols
 

DI BENEDETTI

B I O S
  • Dante Di Benedetti


    Nascimento: 28/10/1916
    Cidade : Genzano

    Função: Centro Avante

    Estréia : 09/02/36
    Napoli 1-2 Roma

    Temporada  Pres Gols
    1935/36 13 7
    1936/37 18 6
    Total 31 13

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM