Giovanni Corbyons

Forma com Attilio Mattei a primeira dupla de laterais da história giallorossa. E como seu companheiro de setor (rebatizado de "Bibbitone", ou mamadão), não poderia fugir da fúria iconoclasta da inconfundível torcida romanista e recebe um curioso apelido de "Moschino" (mosquinha).

Diferentemente de Mattei, Corbyons é um "jolly" muito válido técnicamente, fruto dos diversos anos que atuou como meio-campo, com as camisas de Fortitudo e Alba. Por isto sabe contrastar melhor e diretamente o adversário, mas também prostar-se com propriedade na fase de apoio ao meio campo. Suas intervenções são na maioria das vezes limpas e consentem a equipe de contratacar sobriamente em busca do gol adversário.

Conquistou o primeiro titulo romanista da história juntamente com seus companheiros de equipe e teve uma participação fundamental no feito fazendo um dos gols da vitória no último jogo da final.

Depois de duas temporadas nas quais esteve empenhado com continuidade, em 1929 tem que disputar a posição com De Micheli, o mítico "Scrucchia" da canção de Testaccio, que significa apertar, espremer o que por definição era uma parada literalmente dura para Giovanni. A idade começa a pesar e o técnico Burgess prefere confiar nas rudes eficiências de De Micheli.

Corbyons não gosta da situação ameaçadora e com muita dor no coração deixa a cidade natal para se aventurar em Florença. Sua aventura não terminaria na Toscana pois mais tarde ainda teve fôlego para disputar a terceira divisão italiana com Catania na Sicilia.

Toda vez que o goleiro Bruno Ballante tinha que repor a bola da linha do fundo lhe dizia: "A Moschí, battene er frichicche!" (Free Kick, tiro de meta).

@zamacwb

33   presenças
2   gols
 

CORBYONS

B I O S
  • Giovanni Corbyons


    Nascimento: 1/01/1900
    Cidade : Roma

    Função: Lateral Esquerdo

    Estréia : 25/09/1927
    Roma 2-0 Livorno

    Temporadas Pres Gols
    1927/28 20 1
    1928/29 11 1
    1929/30 2 -
    Total 33 2

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM