Amos Cardarelli

Amos inicia sua carreira de jogador no Ludovisi em 1949 aos dezenove anos. Um dos meninos de Palazzo Federici que jogavam na Viale XXI Aprile, acaba sendo monitorado de perto por Fulvio Bernardini, que morava próximo a essa área. Como Fufo era responsável pelo setor juvenil da Roma não demorou muito para trazer o jovem para Roma convencendo a diretoria do clube a ficar com ele.

Roscio, como era conhecido pela torcida giallorossa, estréia logo na sua primeira temporada como giallorosso (1950/51), já que era reversa de Knut Nordahl que acaba se lesionando. Lateral esquerdo de ofício acaba tendo que se adaptar na meia, onde jogava o sueco. Absorve com naturalidade a missão.

Torcedor declarado da Roma, sua generosidade também é definida pela torcida giallorossa como “er core de Roma” (coração de Roma), apelido que anos depois seria herdado por Giacomo Losi da mesma forma. É o famigerado romano que realiza o sonho de vestir a camisa do time da sua cidade.

Duro, tinhoso, muito forte nos combates não tinha medo de nada. No curso dos jogos Olímpicos de Helsinki acaba contraindo a pleurisia, o que naquela época significava o final de carreira para um atleta. Não desiste por nada e em oito meses se recupera inacreditavelmente. A dureza com que combatia em seus jogos provoca muita polêmica, principalmente em um jogo diante da Atalanta onde acaba atingindo Rasmussen. Cardarelli não tem culpa mas os bergamaschi relembram os dissídios entre os dois e acabam culpando ele, mesmo se o próprio jogador atalantino acabou desculpando-o.

"Aguerrido e de certa forma despachado no jogo acrobático"
Sandro Ciotti



Jogou por sete temporadas na Roma, sendo 157 presenças e e gols com a camisa giallorossa. Já no seu primeiro ano como romanista enfrentou uma das piores crises do clube, o descenso a Série B, porém nunca abaixou a cabeça ajudando o time já no ano seguinte retornar a primeira divisão conquistando o torneio de acesso.

Em 1957 é negociado com a Udinese em troca dos já rodados Magli e Menegotti, porém jamais deixa de ser o torcedor romanista declarado que sempre foi. Com o time de Udine disputou 29 partidas na única temporada que lá ficou antes de se transferir para Inter de Milão. Com os nerazzurri jogou dois anos acumulando 51 presenças.

Na temporada 1960/61 se transferiu para o Lecco onde jogou outras duas temporadas colecionando 59 partidas e um gol. Encerrou sua carreira de jogador no Tevere Roma na temporada 1962/63 disputando outras 22 jogos.

A partir de 1970 investe seus dotes na carreira de treinador comandando o Palestrina. Em 1972 treina o STEFER Roma e no ano seguinte a equipe do Frosinone onde fica até 1975. Em 1977 dirige o ALMAS por outros dois anos.

Dedica sua última temporada frente ao comando da equipe do Banco di Roma (1981/82) antes de encerrar definitivamente com suas atividades de técnico de futebol.

Amos Caradarelli também fez alguns programas de rádio como comentarista e nunca deixa de ressaltar seu amor pela Roma e de quanto foi grato por poder ter vestido a camisa giallorossa.

@zzzamaaa

3   gols
 

CARDARELLI

B I O S
  • Amos Cardarelli


    Nascimento: 06/03/1930
    Cidade : Monterotondo
    Altura: 186cm
    Peso: 77kg

    Função: Lateral Esquerdo

    Estréia : 24/09/1950
    Triestina 4-2 Roma

    Temporada Pres Gols
    1950/51 26 -
    1951/52 37 1
    1952/53 1 -
    1953/54 21 1
    1954/55 26 1
    1955/56 27 -
    1956/57 19 -
    Total 157 3
    ---->
    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM