Ugo Ceresa

Produto das divisões de base do famoso "nerostellati" Casale do início do século XX, iniciou profissionalmente com apenas dezoito anos de idade em 1933 acumulando 29 presenças no time principal, antes de passar ao Alessandria em 1935 onde lá ficou até a temporada 1937/38 vestindo a camisa de titular por 89 vezes.

Com um desempenho acima da média mostrando-se capaz de trilhar uma grande carreira dentre os goleiros daquela época, chama a atenção da diretoria giallorossa e no verão de 1938 é chamado a fazer parte da equipe do técnico Guido Ara.

Inicialmente joga com o time B romanista, já que o reserva direto de Masetti era Francavilla, mas eventualmente é chamado para fazer parte da equipe principal pois a Roma busca não de agora um substituto válido para a meta romaista.

Porém nas ocasiões que é chamado não causa a impressão necessária obrigando a sociedade a chamar o velho e bom Guido Masetti para continuar no gol, que mesmo com a idade sobre as costas mostra-se ainda melhor que o jovem Ceresa.

Provavelmente não é muito dotado do ponto de vista de bravura e isto em uma sociedade ambiciosa como a Roma se torna um calcanhar de Aquiles não indiferente. Tanto é que o que mais pesou foi um papelão no jogo diante da Ambrosiana (Inter) que o marcou negativamente para sempre na equipe.

Desta forma em 1941 Ugo fora negociado com o Ferrara onde ficou até 1943, mas também não teve muito êxito indo a campo apenas sete vezes. Em 1945 passa ao Spal onde tem um pouco mais de espaço e coleciona 20 presenças, antes de encerrar sua carreira.

Ugo Ceresa faleceu na sua cidade natal, Casale Monferrato, aos setenta e cinco anos de idade, no dia 2 de outubro de 1990.

@zamacwb

12   presenças
 

CERESA

B I O S
  • Ugo Ceresa


    Nascimento: 05/02/1915
    Cidade : Casale Monferrato

    Função: Goleiro

    Estréia : 26/02/1939
    Lucchese 1-4 Roma

    Temporada  Pres Gols Sofridos
    1938/39 6 6
    1939/40 6 4
    1940/41 2 5
    Total 14 15


    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM