Angelo Gerolamo Pasolini

Lateral casca grossa que a Roma negociou com o Brescia em 1931. Sua fama percorreu o país após ter quebrado a tibia de Janni, depois de uma entrada assassina digna de filme de terror por parte dos adversários no dia 4 de maio de 1930.

Sua marca registrada era essa, típica de jogadores sulamericanos em busca da defesa do seu orgulho custe o que custar e isto faz com que se torne um garoto propaganda para a Itália dos anos trinta, porém tem o azar de encontrar pela frente Monzeglio e Rosetta, muito melhores no que tange a técnica.

Angelo jogava ao lado de Stagnaro sob a supervisão de Masetti e o jornal Il Mensaggero escreve uma nota polêmica assim:

“Um trio defensivo supremo e atualmente, como dizem os críticos fora da casinha, um dos melhores da Itália”

Em Roma ele fica duas temporadas, e este jeitão bronco e raçudo logo conquista a torcida romanista das graças de Testaccio. A melhor característica porém, é aquela de se antecipar aos seus adversários dando o bote no momento certo sem possibilidade que o adversário consiga reagir ou escapar da sua trajetória, e nem é preciso dizer que ele não pensa duas vezes caso precise intervir com falta.

A Gazzetta dello Sport na época:

“Pasolini se tornou prodígio com atitudes e sentimentos imensuráveis”

Na segunda temporada teve um declínio substancial em suas prestações e no ano seguinte foi cedido ao Pisa, para disputar a Série B, onde ficou por mais 4 anos. Seguiu carreira como técnico de futebol, pelo próprio clube que pendurou as chuteiras, e em 1952, voltou a sua cidade natal para treinar o time que o lançou, o Brescia, por mais uma temporada encerrando sua carreira em 1953. Faleceu com apenas 54 anos no dia 19 de fevereiro de 1959.

@zamacwb

56   presenças
 

PASOLINI

B I O S
  • Angelo Gerolamo Pasolini


    Nascimento: 14/10/1905
    Cidade : Orzinuovi

    Função: Lateral

    Estréia : 18/09/1932
    Roma 2-0 Casale

    Temporadas Pres Gols
    1932/33 33 -
    1933/34 23 -
    Total 56 0

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM