Andrea Gadaldi

"Gada" como carinhosamente era referenciado pela torcida romanista, era um lateral habilidoso daqueles que quando roubam a bola do adversário, ao invés de isolar, protegem friamente e buscam um companheiro desmarcado criando um contra-ataque mortífero ou até mesmo uma situação real de gol, algo não muito comum para os laterais daquela época.

Cresce futebolisticamente no Brescia acumulando sete temporadas no clube onde ganha experiência e fama até ser pescado pela diretoria romanista em 1933.

Chegando a capital encontra pela frente o desafio não muito difícil de ganhar a posição concorrendo com o ordinário Pasolini, definitivamente regular naquela posição.

Sandro Ciotti:

“Lateral de grande talento”

Nos anos seguintes vai conquistando definitivamente um lugar no time principal, graças a sua constância, presença e manutenção de boas apresentações. Mesmo com a chegada da forte dupla de laterais da seleção italiana Monzeglio e Allemandi, na intenção de reforçar o setor por parte da diretoria giallorossa, consegue se destacar na função de volante ao lado de Frisoni e Ferraris, graças também a fuga dos argentinos Guaita, Scopelli e Stagnaro de volta para o seu país, deixando o técnico Luigi Barbesino na mão.

Com isso se transforma em uma espécie de coringa suprindo também os companheiros na lateral quando precisa, mas principalmente tapando o buraco deixado pelos argentinos, na tentativa desesperada de Barbesido de suprir o setor

O jornal da capital Corriere dello Sport escreve assim de Andrea:

“... Entre os melhores Gadaldi que aprendeu a dosar suas jogadas... ”

Andrea era do tipo de jogador que vestia a camisa por amor, o que fez que caísse nas graças e no carinho da torcida romanista rapidamente conquistando seu afeto.

Muito útil nas competições paralelas ao campeonato italiano, tais como Copa Italia (14 presenças na competição) e Copa da Europa Central, com cinco apresentações com a camisa da Roma.

Em 1940, depois de ter disputado a incrível marca de 179 partidas nos sete anos que vestiu a camisa giallorossa, volta para sua terra natal afim de continuar ajudando o time que o lançou acumulando mais cinquenta e uma partidas antes de se aposentar definitivamente como jogador em 1942.

Assume cargos de diretoria dentro do Brescia e por duas temporadas (1947/48 e 1960/61) e depois o comando técnico da equipe

No dia 16 de janeiro de 1993, Andrea Gadaldi vem a falecer em Brescia e nos deixa com 86 anos.

@zamacwb

3   gols
 

GADALDI

B I O S
  • Andrea Gadaldi


    Nascimento: 25/08/1907
    Cidade : Leno

    Função: Lateral

    Estréia : 10/09/1933
    Brescia 1-0 Roma

    Temporadas Pres Gols
    1933/34 14 -
    1934/35 30 -
    1935/36 21 1
    1936/37 29 2
    1937/38 30 -
    1938/39 28 -
    1939/40 27 -
    Total 179 3

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM