Adriano Zecca

Iniciou nos juvenis da Società Ginnastica Andrea Doria de Genova e em 1940 estreou como profissional vestindo a camisa da Associazione Calcistica Dilettantistica Rapallo Ruentes 1914 pela terceira divisão italiana até 1941. Na temporada seguinte fora emprestado a Società Sportiva Dilettantistica Unione Sanremo no qual ficara até o final do ano esportivo. Em 1942 acerta com a Associazione Calcio Reggiana 1919 colecionando dezoito partidas e incriveis dezesseis gols na única temporada com os granadas.

Volta para a região natal em 1943 porém não encontra tanto espaço e vai a campo apenas tres vezes em toda a temporada. Deste modo acerta com o Genoa Cricket and Football Club para jogar torneios regionais durante o período da segunda guerra mundial em 1945. Após a guerra se transfere para Turim para vestir a camisa granada, mas como tem pela frente a concorrência de brasonados do "Grande Toro" se ve obrigado da mesma forma a buscar outros horizontes e na temporada 1946/47 acerta com o Modena Football Club onde finalmente adquiri espaço e continuidade acumulando trinta e seis jogos e seis gols com a camisa canarinho.

O Venezia Football Club se interessa pelos dotes de Adriano e no verão de 1947 passa a atuar pelo time veneto. Faz setenta e duas partidas com a camisa dos "leões alados" além de trinta e oito gols, o que viria a ser sua melhor performance desde então. A Roma tenta negociar com o clube "arancioneroverdi" no verão de 1949, mas a sociedade veneta que se encontra em sérios problemas financeiros pede trinta milhões de liras italianas. Da presidência giallorossa, ao contrário, se faz uma contraproposta de vinte mais o passe de Di Paola. A negociação parecia cair por terra, mas o próprio jogador, de férias em Montecatini, manda uma carta ao então técnico romanista Fulvio Bernardini anexando uma cópia do contrato que o ligava ao Venezia, que previa para Zecca uma liberação mediante o pagamento de uma cifra de cinco milhões. As 21 horas de sexta-feira, 5 de agosto de 1949 o jogador assinou com a Roma. Estava feita a confusão, mas no dia 25 de agosto do corrente ano debutou no primeiro amistoso treino em um retiro na cidade de L'Aquila.

Durante seu período com a maglia giallorossa tem altos e baixos, como por exemplo a "doppietta" porém, em um seis a zero diante do Bari. Quando o mar não estava para peixes a torcida romanista gritava em sua direção:

"Vai morrer, vai..."

Possuía grandes dotes acrobáticos, que o fizera ganhar o apelido de "Danny Kay" (em honra de Danny Kaye, celebre ator bom tanto na recitação quanto nas piruetas). Brilhante mas meio descontinuo. Jogador inteligente chegando até a ser convocado para seleção italiana, mas na temporada seguinte até ele tem dificuldades para se firmar contribuindo para que a Roma caísse para a Série B. Com a chegada de Viani, aposta em Adriano como um jogador importante no seu projeto e desta forma o atacante fornece uma ótima contribuição para o renascimento giallorosso.

Na temporada 1952/53, porém, encontra pouco espaço e com a ascensão de Carletto Galli roubando a titularidade no ataque, Zecca não tem outra alternativa a não ser fazer as malas e ir para o Hellas Verona Football Club. Com os "Martini" faz oito gols em vinte e sete jogos, uma média regular para um homem de frente de ofício e desta forma é negociado para o Football Club Bari 1908 em 1954. Com os "galletti" a história não muda muito acumulando apenas seis tentos em vinte e três partidas com a camisa "biancorossa" no único ano que ficou também.

Adriano sente que seu tempo vai se definhando rapidamente e com isto em 1955 acerta com a Associazione Sportiva Dilettantistica Città di Foligno 1928 para disputar a terceira divisão italiana onde permaneceria por mais dois anos. Em 1959 se transfere para a Società Sportiva Dilettantistica Vis Pesaro 1898 onde também se alterna como técnico e auxiliar para na temporada seguinte fechar com a Nuova Cisterna. Encerra sua carreira de jogador em 1961/62 atuando pelo Fondi Calcio.

Como já havia tido uma experiência no comando do Foligno decide continuar como treinador assumindo o time do Frosinone Calcio em 1964. Passa a temporada 1968/69 treinando o Spezia Calcio. Em 1971, também por uma única temporada, treina a Associazione Sportiva Viterbese Castrense.

Em 1977 acerta com o Sorrento Calcio e após o trabalho com os rossoneri costieri encerra sua carreira de técnico de futebol em 1979 frente a Società Sportiva Dilettantistica Calcio Città di Brindisi.

Adriano Zecca falece aos cinquenta e nove anos de idade, em março de 1983, sendo sepultado em Genova.

@zamacwb

19   gols
 

ZECCA

B I O S
  • Adriano Zecca


    Nascimento: 11/04/1923
    Cidade : Bozolo

    Função: Atalanta

    Estréia : 11/09/1949
    Roma 2-0 Pro Patria

    Temporadas Pres Gols
    1949/50 36 8
    1950/51 18 3
    1951/52 37 6
    1952/53 10 2
    Total 101 19

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM