Pietro Acquarone

Iniciou sua carreira nas divisões de base do Sanremese e aos dezenove anos estreou no time principal em 1937, pela Série B defendendo-o por três temporadas e colecionando 48 presenças além de 7 gols.

Volante de discreta qualidade não possui dotes técnicos de fato, mas um espírito de combate sem igual muito agressivo o que compensa com a intensidade do jogo balanceando a classe descompensada.

A Roma, por sua vez, está em busca de peças alternativas para o seu plantel e desta forma se interessa pela jovem revelação liguriana que no verão de 1940 desembarca na capital.

Mas com a camisa giallorossa, Acquarone não consegue convencer nas ocasiões que o técnico húngaro Alfred Schaffer o chama para compor o time principal. Se a intensidade de jogo é elevada, como explicado anteriormente, sua técnica inerente pesa diante do futebol da primeira divisão italiana.

Do ponto de vista mental, a cidade grande não é realmente seu ambiente ideal, porém mesmo assim conseguiu arrancar linhas positivas a seu favor como estas de um jornal da época:

"O rapaz demonstrou boas qualidades, inteligência, desenvoltura nas jogadas aéreas além de passes interessantes na ligação a linha de frente, mesmo se pareceu um pouco lento"

Nas cinco partidas com a camisa romanista, demonstra uma certa fragilidade de caráter que obviamente não joga a seu favor e o afasta rapidamente as margens do time. Desta forma acaba se transferindo para o Venezia onde também não tem um grande retrospecto não sendo utilizado nem uma mísera vez.

No verão de 1941 passa para o Pisa, onde lá finalmente consegue jogar com ótima continuidade por duas temporadas acumulando 65 partidas e dois gols demonstrando sua natural realidade técnica.

Com a chegada da segunda guerra mundial para ele também a triste realidade do esquecimento. O futebol na Itália é algo supérfluo em vista dos conflitos bélicos e os campos de futebol dão espaço a outras funções estratégicas.

Não resta senão torcer para que termine rapidamente as hostilidades entre os países conflitantes e venha a paz para que a bola possa rolar e trazer outro alento e esperança de um tempo melhor. Depois da guerra, volta a campo pela Série C na temporada 1945/46 vestindo a camisa do Asti onde colhe 18 presenças com o time colorado. Na temporada seguinte, finalmente volta para sua Sanremese, equipe que o lançou para terminar sua carreira com dignidade. Pelo time celeste joga mais de trinta partidas e encerra com o futebol em 1949.

@zamacwb

5   presenças
 

ACQUARONE

B I O S
  • Pietro Acquarone


    Nascimento: 23/01/1917
    Cidade : Arma Di Taggia

    Função: Zagueiro/Volante

    Estréia : 12/01/41
    Roma 3-1 Livorno

    Temporadas Pres Gols
    1940/41 5 -
    Total 5 -

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM