Ruggero Salar

Apesar de ter nascido no nordeste italiano Ruggero iniciou profissionalmente no Taranto, equipe da Puglia, extremo sul do país, literalmente embaixo da "bota", como é popularmente conhecida a peninsula. Com os iônicos fez sua primeira partida com apenas dezessete anos pela Série B 1935 e lá acumulou 38 jogos e marcou um gol nas três temporadas disputadas.

Em 1938 retorna a sua região de origem para vestir a camisa da Triestina onde praticamente se consagra como jogador. Além de estrear na primeira divisão italiana com os giulianos, faz uma das melhores linhas medianas da época com Rancilio e Spanghero, colecionando cento e vinte e duas presenças além de dez gols nas seis temporadas que disputou.

Salar era um volante muito forte fisicamente, nada de excepcional do ponto de vista técnico, porém rápido em suas ações de contenção e distribuição de jogo e isto logo despertou o interesse da diretoria romanista em trazê-lo para a capital.

Nas duas temporadas como romanista se destaca pelo rendimento e amor a camisa, mesmo se é obrigado ele também a fazer as contas com uma situação técnica bastante critica. Sua bravura parece digna de uma Roma que infelizmente não existia mais, aquela testaccina, e serve apenas para diferenciar uma equipe então pobre do ponto de vista técnico de impactos cada vez mais preocupantes. Os anos que passou na capital, marcam o ponto máximo da sua parabola física acumulando 61 jogos e um gol.

Com a crise giallorossa impetrada, acaba sendo negociado com a Lucchese, recém promovida a primeira divisão italiana que contava também com o talentoso Ugo Conti. Com os "panteras" disputa 29 partidas e seu bom desempenho abre as portas para o Venezia que procurava desesperadamente construir uma equipe forte para voltar a Série A. Desta forma na temporada 1948/49 passa aos leões alados da laguna e ajuda efetivamente o time negroverde subir a primeira divisão colecionando 40 presenças.

Porém no ano seguinte a idade começa a pesar e Salar tem que se contentar em continuar na segunda divisão com o time do Prato e lá faz 21 jogos na única temporada que jogou. Na temporada 1954/55 quase consegue ajudar o Foligno a voltar para a terceira divisão antes de encerrar sua carreira de jogador em 1955.

Enfim inicia sua aventura de treinador comandando primeiramente o Treviso por dois anos pela Série C. Em seguida a Mestrina por mais duas temporadas pela mesma divisão e em 1966 a Lucchese pela quarta divisão italiana. Na nova temporada ajuda o Matera a subir para a terceira divisão. O mesmo ocorre em 1969/70 com o Turris (primeiro lugar da Série D) mas a equipe sofre penalização e desta forma perde a promoção.

Sem equipe no curso da temporada 1971/72 fecha acordo com a Pro Magliano (que disputava a promoção regional veneta) para substituir o técnico Eddy Sartori. Con a equipe celeste consegue a terceira colocação tendo inclusive contribuição substancial no setor juvenil do clube.

Nas duas temporadas seguintes treina o Viareggio e o Matera evitando inclusive o rebaixamento da primeira a quarta divisão. Em 1974 volta a treinar o Matera. Fica dois anos sabáticos afastado dos gramados e retorna em 1979 frente ao Montello onde fica uma temporada. Em 1981 acerta com o Favaro e lá fica por três temporadas aposentando-se definitivamente dos campos em 1983.

@zamacwb

61   presenças
1   gols
 

SALAR

B I O S
  • Ruggero Salar


    Nascimento: 14/10/1918
    Cidade : Crauglio

    Função: Volante

    Estréia : 21/10/45
    Anconitana 0-1 Roma

    Temporada Pres Gols
    1945/46 32 -
    1946/47 29 1
    Total 61 1

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM