Giacomo Blason

Dentre as muitas histórias de goleiros, Giacomo iniciou no futebol como volante, mas rapidamente mudou de idéia e aos dezessete anos de idade, vestindo a camisa do Mondalconese, estreou como goleiro em 1931. Na temporada seguinte transfere-se para a Triestina e muito cedo já jogando pela primeira divisão italiana acumula sessenta jogos nas duas temporadas com o clube de Trieste.

Em 1934 desembarca na capital depois de ter fechado acordo com a Lazio em 172 mil velhas Liras italianas, com muito custo para se obter um desconto na negociação. Com os celestes Blason fez estrada e história: foram 150 partidas nas seis temporadas defendendo a meta laziale. Na temporada 1939/40 para para ao Napoli e com os partenopeus vai a campo 30 vezes até 1942 quando retorna a capital para desta vez jogar do outro lado do rio Tibres.

Giacomo foi um dos melhores goleiros italianos dos anos trinta. Seu destino na capital italiana foi ingrato nas duas ocasiões tendo que substituir dois monstros consagrados como Sciavi e Masetti. Por sorte, se esta é uma palavra boa para usar na situação, no time celeste contou com a grave lesão de Ezio no menisco que o aposentou para sempre do futebol.

Já na Roma sua história fora um pouco diferente, mesmo se a diretoria romanista procurava incansavelmente um substituto a altura do grande Guido que decide se aposentar depois de finalmente ter conquistado o título italiano com a camisa da Roma no campeonato anterior.

No entanto Blason já era muito rodado e sua grande bagagem começava a pesar no seu desempenho tendo também como oponente um tal de Risorti que definitivamente lutaria pelo trono deixado por Masetti a todo custo.

O editorial da época Calcio ilustrado fez uma menção a Giacomo na época:

"Do complexo romanista Blason foi o número um, fazendo defesas dificílimas e seguras, no entanto abusou um pouco das saídas com punho e efetuou poucas nos braços"

Depois da segunda guerra mundial, em 1945 volta para sua terra e lá ainda joga pelo Pro Gorizia, Suzzara e San Donà até 1950 quando decide encerrar sua carreira de goleiro, devido também a várias lesões que já começavam a incomodar com maior intensidade, para então iniciar a de técnico de futebol.

Como treinador tem um restrospecto bastante discreto comandando times da sua região de origem, no nordeste italiano, tendo como ápices o Spal, Chieti e Savoia, mas jamais equipes da primeira divisão italiana consagradas.

Giacomo Blason falce aos setenta e três anos de idade, no dia 3 de fevereiro de 1998 na cidade de Monfalcone onde havia iniciado sua carreira futebolística.

@zamacwb

12   presenças
 

BLASON

B I O S
  • Giacomo Blason


    Nascimento: 12/06/1919
    Cidade : Fiumicello

    Função: Goleiro

    Estréia : 29/11/1942
    Roma 1-1 Bologna

    Temporada Pres Gols Sofridos
    1942/43 12 16
    Total 12 16

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM