Mario Tontodonati

Inicia sua história futebolística na Associazione Sportiva Dilettantistica Popoli Calcio 1912 em 1937 com apenas quinze anos de idade onde permanece por mais três anos até selar acordo com o Delfino Pescara 1936, time mais conhecido da sua região natal. Com os “delfini” celestes faz estrada com noventa participações e cinquenta e dois gols até 1943 disputando a terceira divisão italiana.

Após o fim da segunda guerra mundial e com a retomada do futebol a nível nacional na Itália, Mario volta atuando pelo mesmo Pescara em 1945 onde acumula mais vinte presenças e dez gols antes de passar ao Bari na temporada seguinte. Com os “galletti” também se destaca vindo a campo setenta e sete vezes e marcando dezesseis gols nas duas temporadas que atuou com os “biancorossi” da Puglia até 1948.

Em 1948 a Roma negocia com a Ambrosiana Inter a venda de seu talento Amedeo Amadei e em contrapartida pede o passe de Mario Tontodonati, além de Maestrelli, tendo quase a plena convicção de substituir a altura o artilheiro bandeira giallorosso. E de fato o atacante mostra seu valor em Roma, marcando vinte e oito gols, um número considerável em uma equipe que até então vive em perene crise técnica, mas a comparação com seu ilustre predecessor impede uma avaliação mais serena com relação ao seu rendimento.

Trinta milhões de velhas liras italianas juntamente com o passe de Maestrelli consolidando uma negociação recorde na época na casa dos quarenta e cinco. De qualquer forma era o clássico homem certo no momento errado e paga amargamente pela revolta da torcida diante da campanha medíocre que o time vinha fazendo nos últimos anos (e que ainda iria fazer), mais a reprovação da negociação de Amadei que de fato não mudou em nada sua eficiência em campo.

"Oh, que no Dia do Juízo Final os ressuscitados, homens e Deuses, terão os músculos de Amadei, as garras de Gino e que os serafins cacem lá embaixo os danados com o estilo de Tontodonati..."
Steno (epitáfio - Marc'Aurelio)



Depois do rebaixamento a Série B, o presidente Renato Sacerdoti, sob conselho de Gipo Viani, decide apostar no emergente Carletto Galli e acaba cedendo Mario para a Lucchese em 1952 onde também colhe uma ótima performance disputando trinta partidas e vindo a marcar sete gols. Na temporada seguinte acerta com o Torino, vai a campo apenas nove vezes e com isto decide retornar ao seu Pescara em 1953.

Disputa mais seis temporadas com o time celeste de Abruzzo acumulando 33 presenças e marcando incríveis cinquenta e oito gols. De 1958 até 1961 também assume a função de técnico algo que tomaria gosto e que o faria seguir carreira, antes de pendurar as chuteiras em 1959.

Em 1962 assume o comando técnico da Associazione Sportiva Dilettantistica Real Giulianova disputando divisões amadoras. Depois da pausa sabática dos gramados Mario retornaria a treinar seu Pescara em 1968 onde permaneceria por mais duas temporadas até acertar com a Angolana, um time de menor expressão da cidade de Pescara.

Novamente em 1979, volta ao comando do Pescara, desta vez como auxiliar técnico. No ano seguinte passa a ser o treinador principal do time, aposentando-se definitivamente no final da temporada. Assumiu ainda alguns cargos internos no clube.

Mario Tontodonati vem a falecer no dia 24 de junho de 2009 aos oitenta e seis anos de idade, e é sepultado na sua região natal de Abruzzo, na cidade de Fontecchio.

@zamacwb

90   presenças
28   gols
 

TONTODONATI

B I O S
  • Mario Tontodonati


    Nascimento: 21/08/1922
    Cidade : Scafa

    Função: Atacante

    Estréia : 19/09/1948
    Bologna 1-2 Roma

    Temporada Pres Gols
    1948/49 36 12
    1949/50 34 10
    1950/51 20 6
    Total 90 28

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM