Andrés Stagnaro

Produto das divisões de base do popular Racing da cidade de Avellaneda, Província de Buenos Aires, Alejandro estreou profissionalmente no clube celeste em 1928 com 21 anos de idade. Teve uma passagem rápida pelo Atlanta (time da capital argentina) antes de finalmente passar a Roma em 1933.

"El Tano" (correlacionado a napolitano, adjetivo dado a todo italiano que emigrava para América do Sul), veio para Roma juntamente com os seus conterrâneos Guaita e Scopelli.

Era um dos queridinhos pela torcida do clube celeste argentino e Lombardo, jogador argentino que militava na Roma já a algumas temporadas, ficou designado pelo presidente Renato Sacerdoti a trazer boas opções para o elenco de sua pátria madre. Por conta disso quase é linchado na Argentina pelos torcedores do Racing que ficaram muito revoltados com a cessão de Stagnaro.

Zagueiro raçudo digno daqueles de se ver em batalhas épicas de Libertadores. Considerado na época um dos melhores jogadores do campeonato argentino, jogava como central ou volante, fazia desarmes como poucos e tecnicamente era bem dotado. Seu único problema era o joelho que várias vezes foi seu pesadelo enquanto cá esteve.

Seu início também foi duro por conta de que na sua posição permeava um certo Fulvio Bernardini, e vê a viola em cacos para conquistar um espaço como titular no time. Quando realmente começa a convencer o técnico Luigi Barbesino que poderia ter um lugar no time vem a grave lesão que o tira praticamente de toda a temporada 1934/35.

Pela torcida romanista também era conhecido como "pertica" (bastão), pois era magro e alto e às vezes fazia até parecer descompensado. Seu maior problema estava no relacionamento dentro do vestiário muitas das vezes stigmatizado pela rebeldia.

o jornal Il Littoriale escreve:

"Jogador capaz de realizar proezas, assim como desaparecer no meio do pântano em um jogo obscuro e planificado"

Dito isto, foi um dos principais artificies da famosa fuga Argentina: juntamente com seus compatriotas Scopelli e Guaita retornam para a América do Sul com medo de um possível alistamento as forças de combate italianas que estavam em uma eminente guerra. Tudo isso às escuras e a 48 horas de iniciar o campeonato italiano, deixando para o técnico Barbesino a difícil missão de suprir uma grande lacuna no time.

Retornando a Argentina encontra as portas abertas do seu Racing o qual faz mais duas temporadas com 26 presenças e dois gols. Encerra sua carreira de jogador em 1938 com vinte e nove anos.

Depois do futebol se emprega no autódromo municipal de Buenos Aires na função de administrar o painel eletrônico de tempos do local.

Ele e seus patrícios vieram para a Roma por uma cifra de 360 mil velhas liras italianas. Em uma vinheta do jornal "Tifone" perguntam porque haviam fugido e ele responde:

"Nós somos italianos pela bola (palla), e não pela pele (pelle)"

@zamacwb

26   presenças
 

STAGNARO

B I O S
  • Andrés Stagnaro



    Nascimento: 19/11/1911
    Cidade : Buenos Aires
    Altura: 182cm
    Peso: 75kg

    Função: Zagueiro

    Estréia : 10.09.1933
    Brescia 1-0 Roma

    Temporadas Pres Gols
    1933/34 25 -
    1934/35 1 -
    Total 26 0

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM