Miguel Ángel Pantó

Miguel revela-se profissionalmente no Estudiantes em 1930 com apenas dezoito anos de idade. Em 1934 passa para o Platense onde em nove jogos marca dois gols. Na temporada seguinte se firma no San Lorenzo acumulando 24 jogos e seis gols antes de finalmente fechar com a Roma no verão europeu de 1939.

Veio no mesmo navio juntamente com outras três contratações argentinas: Providente, Spitale e Campilongo. Diferentemente dos seus conterrâneos, porém, que não conseguem sustentar a fama da distinta escola sul-americana, Pantò encaixa a nova realidade e demonstra ser um ótimo jogador retribuindo a confiança nele depositada a altura.

Dotado de grande técnica, e não poderia ser diferente em vista da escola que fora formado, tem talvez o vicio de permanecer muito tempo com a bola, unida a uma tendência de se inflamar facilmente, o que se torna um ponto a ser explorado pela zaga adversária que se despoja deste jogo "sujo" para muitas vezes parar jogadores habilidosos e mais talentosos. Uma prática não muito diferente dos dias atuais em se falando dos princípios básicos do anti-futebol.

Pantò porém não se faz parar excessivamente pelas maneiras rudes e nos anos que vestiu a camisa giallorossa coloca em prática uma grande continuidade e rendimento que o faz ser comparado com o grande Mumo Orsi, mesmo se não chega a vestir a camisa da seleção.

Com Krieziu e Amadei fora um dos tridentes mais mortíferos da Roma até hoje conhecido. Jogava com uma raça superior nos clássicos em geral, principalmente nos derbys. Sem dúvidas um dos estrangeiros mais amados da torcida romanista.

Unidos a isto soma-se também a ótima capacidade de fazer gols, como demonstram os 41 que realizou nas quatro temporadas antes da segunda guerra mundial. Além do talento técnico, dispõe de grande coração e de um carinho com a camisa romanista digna de aplausos: leva com grande orgulho a camisa giallorosso e o chapel plumado dos artilheiros, o mesmo que exibe juntamente com Amadei, Cosia, Borsetti, Jacobini e Andreoli no dia da partida com o Modena que concede o primeiro título italiano a Roma.

Depois do futebol retornou para Buenos Aires para se dedicar a indústria de gravuras em metal. Em uma entrevista para a imprensa argentina, com a camisa romanista em mãos revelou que foram seus melhores anos como jogador e que sempre recorda do clube da capital com muito carinho. Tanto que depois de Roma não vestiu nenhuma outra camisa pendurando definitivamente as chuteiras em 1947, sua ultima temporada como giallorosso.

Disputou ainda onze jogos pela Copa Itália, pela Roma e marcou sete gols.

@zamacwb

41   gols
 

PANTÒ

B I O S
  • Miguel Ángel Pantó



    Nascimento: 26/11/1912
    Cidade : Lucas Gonzalez
    Altura: 176cm
    Peso: 67kg

    Função: Ponta

    Estréia : 17/09/1939
    Roma 2-0 Bologna

    Temporadas Pres Gols
    1939/40 29 10
    1940/41 30 11
    1941/42 30 12
    1942/43 30 8
    1945/46 11 -
    1946/47 10 -
    Total 140 41

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM