Vicente Di Paola

Iniciou sua carreira no Chacarita Juniors na primeira divisão argentina aos vinte e um anos de idade indo a campo com o time principal apenas duas vezes no campeonato de 1944. No ano seguinte passa ao Almagro, clube também oriundo da sua cidade natal, a capital Buenos Aires, para disputar a segunda divisão.

Com o fim da segunda guerra mundial uma leva grande de argentinos começa a voltar para Itália em busca de sucesso e dinheiro. Um deles é Vicente que indicado pelo campeão com a Roma, Miguel Angelo Pantò, desembarca em Roma em 1946.

A América do Sul, sobretudo a Argentina e Brasil sempre produziram muitos jogadores de qualidade, porém os empresários argentinos foram os pioneiros na questão de negociações cada vez entupindo mais e mais o mercado de jogadores que as vezes tinham a origem mas lhe faltavam o pedigree convencional a altura. Vicente era um destes, tecnicamente desprovido, balanceava-se pela robustez e eficiência de suas jogadas, o que convenhamos para o elenco oferecido pelo clube nos últimos anos até era confundido com um talento.

Di Paola faz de tudo para ajudar uma equipe que começa demonstrar de maneira mais preocupante ainda os sinais de uma involução técnica arrastada de muito longe, mas a pobreza do orgânico é realmente desconfortante. Lutar contra meio campistas do calibre de Valentino Mazzola, Loik, Annovazzi e outros não era uma tarefa fácil ainda mais quando ao seu lado contava com companheiros de escasso valor.

Mesmo assim em suas duas temporadas oferece uma válida contribuição ao time, graças a uma continuidade de rendimento que era sua principal característica. É pau pra toda obra consumado e sabe entretanto ser útil a uma equipe em perene declínio. Porém não pode ser ele, a resolver problemas que estão se tornando cada vez mais evidentes por causa do contínuo deterioramento do material técnico e da confusão generalizada pelas decisões equivocadas da sociedade.

Em 1948, com os problemas acumulados que não eram poucos no cerne do clube, Di Paola e negociado com o Pisa onde consegue ter continuidade acumulando vinte e sete jogos com três gols convertidos, mas não o suficiente para se firmar na equipe. Desta forma, na temporada seguinte, acaba se transferindo para o futebol espanhol selando acordo com o Lleida e acumulando 17 jogos e dois gols até decidir por encerrar a carreira no final da temporada em 1951.

@zamacwb

78   presenças
5   gols
 

DI PAOLA

B I O S
  • Vicente Di Paola



    Nascimento: 12/08/1923
    Cidade : Buenos Aires
    Função: Meia

    Estréia : 22/09/1946
    Roma 3-1 Sampdoria

    Temporadas Pres Gols
    1946/47 31 2
    1947/48 32 3
    1948/49 15 -
    Total 78 5

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM