Arturo Ludeña Quini

Oriundo da pequena cidade argentina de Cañada de Gómez, Província de Santa Fé, vizinha de Corrientes e Missiones que faz divisa com o Estado do Paraná, a pouco mais de 800 quilômetros da capital, Curitiba. Ludeña era bacharelado em direito pela Universidade de Buenos Aires e baseado na vida do atacante romanista, o escritor Antonio Ghirelli fez sua obra entitulada: História do Futebol na Itália (Storia del Calcio in Italia):

"Os primeiros sulamericanos que surgiram entre nós, Libonatti, centro avante do Torino; Petrone, que com a mesma função cobre a Fiorentina, e Chini contratato pelo Torino, mas cedido a Roma, deram razão a estima aos seus empresários; a arte deliciosa das quais se demonstravam em campo encantou todos os italianos apaixonados pelo esporte. Suas contribuições ao jogo foram inestimáveis".

Era possível entender que o argentino gostava mais de uma bola que dos códigos legislativos. Seu destino era a Juventus, mas por complicações acaba não indo para Turim e os dirigentes da Alba se aproveitam da situação e tiram o sulamericano da mira bianconera que continua a relinxar.

Naturalmente foi aproveitado na primeira AS Roma da história. Ponta dotado de boa bagagem técnica, tem naturalmente desenvolvido todos os dotes da escola onde foi formado. Daqueles do tipo que finta e dribla com facilidade, e quando está nos seus dias, dificilmente alguém lhes tira a bola. Infelizmente, e aqui também estamos falando da mesma escola dos hermanos, teme muito o jogo duro e quando o bixo pega, tende a tirar o pé. Talvez isto fosse um dilema da época porque conhecemos bem o jogo de Libertadores.

Em Bergamo no curso do campeonato 28/29, logo que começa a receber algumas butinadas, vai até o árbitro e começa a reclamar de jogo duro, mas, verificando que o mesmo não fazia nada ameaça prontamente a abandonar a partida.

Coisa de advogado? Talvez, aliás ele era procurador, estou falando sério! Era procurador e caiu nas graças da torcida de ter o seu apelido também; L'Avvocato (advogado). O celebre jornal esportivo Il Tifone, lhe dedicou algumas linhas cômicas:

"O advogado demonstra que a toga pode-se ter serventia inclusive nos pés..."

Já escutou a canção do Campo Testaccio? Pois é lembra daquela parte:

"Chini centra, Volk tira e segna, questo è il gioco che la Roma insegna..."

Com a camisa giallorossa disputa uma série de temporadas em altíssimo nível, tanto que chega a vestir seis vezes a camisa da seleção B da Itália. Infelizmente o seu caminho para a Azzurra principal é barrada pelo seu compatriota Mumo Orsi que tem uma grande cumplicidade com o técnico Vittorio Pozzo. Em 1934 se transfere para o outro lado da cidade, mas ele já não é aquele e dificilmente entra em campo. Continuaria a jogar, mas apenas por divertimento com os rubro-negros do Trasteve na capital.

@zamacwb

B I O S
  • Arturo Ludeña Quini


    Nascimento: 21/10/1904
    Cidade : Cañada de Gómez

    Função: atacante/ala

    Estréia : 25/09/1927
    Roma 2-0 Livorno

    Temporadas Pres Gols
    1927/28 20 7
    1928/29 27 14
    1929/30 30 12
    1930/31 34 12
    1931/32 32 6
    1932/33 17 4
    Total 163 55

    info@portaleromanista.org

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM